Tuesday, February 27, 2007

Mais uma Vitória da Menina!


Eu já mencionei aqui antes, num explosivo desabafo, que eu me recuso a cometer os mesmos erros do passado. Na verdade existe uma área ainda não conhecida pela ciência, nos confins da minha grey matter, que preferiria não errar nunca mais (perfeccionista remember?), mas sendo forçada pela razão, a reconhecer que não existe tal coisa, eu escolho o menor dos males... Não cometer os mesmos erros... Se eu não posso ser perfeita gostaria de ao menos vencer a Luciana do ontem. A menina boba, inocente que acredita em amor de verdade. Que sonha com contos de fada. Que acredita num mundo melhor. A feminista carente. A cientista maluca. A menina dos olhos de mar. Com sardinhas de Emília. A heroína de todos os contos, em todos os lugares, o tempo todo.
Por um tempo eu pensei que ia ser fácil vencer esta menina... Mas eu já tentei a enterrar, esconder, camuflar... (*suspense*) Até já tentei matar esta menina espoleta, de trançinhas, que não para quieta... Mas ela sempre dá um jeito de escapar!!! Volte e meia ela pega "coisinhas" que quer explorar... Descobrir... Descrever... E adotar... AHHHHHH! "Ela joga no seu time, corre feito saci, nada feito sereia. Faz bambolê, lê toda a noite (os contos de Veríssimo), pula corda, e ri sozinha. Anda na praia, e cata conchinhas... Escreve poema... Que menina mais chatinha. Eu não suporto suas manias... Suas loucuras... Ela fica imaginando tantas curas, tantos resgates, tantos castelos para construir... Eu queria ao menos poder amarrar ela num cantinho. Afinal de contas, adulto tem que ir a reuniões, apresentar relatórios, prestar contas... Esse negócio de cantar, dançar, suspirando todo o dia, não é coisa para uma profissional, para uma mulher séria, respeitada. Eu não gostaria que a minha dentista fosse uma menina apaixonada... Ou o meu advogado um menino sonhador... Ou mesmo a pessoa cobrando minhas compras no supermercado, alguém que vive alimentando sua imaginação. Dizem por ai, que quem vive no passado é museu, e quem não cresce não teve infância. Mas eu tive infância... aproveitei demais... E não vivo do passado, mas ele, volte e meia vem bater na minha porta pra dizer um alô... Tem dias que eu faço de conta que não conheço minhas memórias... Sério... Dou aquela ignorada descarada... E saio andando, deixo a tal da memória falando sozinha. Mas a menina sempre dá atenção... Que nem hoje... Passei na frente de uma padaria portuguesa. Eu vi um doce na vitrine, que eu já não via a muitos anos. A adulta pensou: Não acredito que há pouquíssimo tempo atrás, eu teria parado o carro, andado na neve imunda (como esta no dia de hoje), teria pago caro pra comprar um doce, do qual eu nem gosto, só por que me lembra de uma época feliz da minha vida. Só pra enganar o meu cérebro para release os tais dos hormônios do feel good... Eu ia sentir uma breve felicidade... Tão breve que nem ia me lembrar no dia seguinte... Continuei dirigindo, foi quando a menina começou a gritar... Poxa você é muito sem graça! Eu queria tanto entrar na padaria. Lembrar do sorriso dele... Do gosto do doce misturado com os seus beijos... Ele tirando o poquinho de açucar do meu nariz... Na hora eu quis esganá-la... Que petulante! Querer pensar naquele menino sonhador que nem ela, bobo, imaturo, mentiroso... Eu disse com firmeza... SHUT UP! E continuei a dirigir... Olhando pra neve pensei comigo... Ai! Preciso levar o carro na Chrysler, fazer revisão dos pneus... Depois desses meses de inverno com o aquecimento ligado direto... o filtro deve estar precisando de ser trocado... Yes... Você acertou! Eu não estava falando com ela, mas ela logo se intrometeu... Bem mansinha, pois sabia que eu tinha ficado com raiva da sugestão mais cedo... Olha... que você me diz, da gente deixar esse negócio de levar o carro na dealer pra semana que vem, aproveita, aluga um carro e vamos esquiar lá em Quebec... Você podia ligar pra Natalie... Fim de semana bem longe daqui... Eu comecei a prestar atenção na doida da menina... Ela continuou... Então... Mil aventuras na cidade mais antiga do país... Mil estórias pra serem descobertas... E tantas mais para serem escritas... Eu sabia! Lá vem a inconveniente querendo planejar o meu futuro com suas tolices. Eu respondi bem irada: Eu vou trabalhar fim de semana que vem, logo depois de pegar o carro na dealer. E não vou pra Quebec, nem esta semana nem semana que vem. E você pode aquietar o seu faxo. Eu acho que ela ficou chateada com o jeito que eu falei. Não se meteu mais o resto do dia. No fim da tarde eu fui fazer as unhas... Pedi a manicure francesinha, comportada, unha não muito comprida, lixada reta, para não arranhar ninguém no trabalho (nem depois do trabalho)... Foi ai que ela apareceu, e se vingou... me enganou, me cegou. Quando eu vi, já era tarde demais. Sai do salão com as unhas pintadas de vermelho. Esmalte brasileiro que eu ganhei de presente e escondi. A bandida achou e usou. Eu fiquei tão chocada, com o bote da doida da menina, que não conseguia dizer nada. Fiquei olhando incrédula para as unhas lixadas redondinhas, e os dedos dos pés... cor de rubi... que nem os brinquinhos de criança... A cor favorita da menina... Ela toda metida ficou se exibindo pra mim. Eu vim pra casa e nem quis conversar com ela sobre o que havia acontecido. Aceitei a minha derrota com orgulho.
Para ela eu não vou dar esse gostinho... Mas para você eu tenho que admitir... Mais uma vez ela venceu... E felizmente para nós duas... ficou lindo.

4 comments:

B. said...

Se as duas lucraram... está ótimo. rs

Fê Probst said...

é bom deixar a moça séria, respeitada, adulta de lado (de vez enquando) e dar ouvidos pra menina sapeca que existe dentro de cada uma.
(a menina sabe ser mais feliz)

Lindíssimo teu texto.

Iaiá said...

Acho engraçado vc querer se livrar da criança dentro de você...

No meu caso, fui chamada à realidade muito cedo, tenho 18 anos com uma vida de 20 e poucos. Muita desconfiança, muita responsabilidade....Sinto saudades da menina que achava que todos eram bons, que achava o mundo seguro, que acreditava no amor mais do que no sexo casual. :)

Relaxe e goste, amiga!

Bjssss

Felipe Rangel said...

hahaha, mas não é?!
Ele ficou a cara desses "filhotinhos"...
Pelo menos, Jack, O Nicholson, parece feliz, né...Que nem PINTO NO LIXO,hehe...Eu tinha que fazer mais uma piadinha estúpida, né?
Conheci seu blog hoje, pelo comentário que deixou lá no "Mico", gostei muito!Continue!
Beijos e obrigado por linkar a gente(assim que arruma um tempinho coloco link pro seu blog lá também :) )!